Fibromialgia e Pilates

Fibromialgia e Pilates

EFICÁCIA DO MÉTODO PILATES NO TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA

A fibromialgia é uma síndrome multifatorial que se caracteriza pela presença de dor musculoesquelética difusa e crônica. Outros sintomas estão associados, como fadiga muscular, formigamento, dormência, distúrbios do sono, distúrbios de humor, rigidez matinal, ansiedade e depressão 1. A população mais acometida pela fibromialgia é composta por mulheres, na faixa etária de 30 a 55 anos 2.

Os mecanismos fisiopatológicos ainda são desconhecidos. Embora a etiologia da doença ainda não esteja elucidada, alguns autores afirmam que a fibromialgia está relacionada a distúrbios de modulação central da dor 3 bem como, tem influência de fatores ambientais 4. Dessa forma, entende-se que é necessária uma abordagem biopsicossocial no tratamento para se obter um resultado eficaz.

Os sintomas da fibromialgia afetam negativamente a qualidade de vida dos indivíduos acometidos. Nesse sentido faz-se necessário a adoção de um planejamento terapêutico para minimizar esse impacto. As terapias medicamentosas e não medicamentosas podem atenuar os prejuízos causados pela fibromialgia e a prática de exercícios físicos é fundamental nesse processo. Estudos mostram que o exercício físico, principalmente os exercícios aeróbicos de baixo impacto, funcionam como tratamento eficaz, aumentando o limiar da dor, diminuindo a rigidez e a fadiga tão recorrente nos pacientes fibromiálgicos 5,6.

Os exercícios de fortalecimento muscular prescritos de forma individualizada também são recomendados para pacientes com fibromialgia 7. Dentre as modalidades de exercícios recomendados, o Pilates vem se mostrando eficaz no tratamento dessa patologia, pois melhora a flexibilidade, força muscular e mobilidade, dentre outros benefícios.

Os estudos que investigaram o efeito do método Pilates sobre os sintomas da fibromialgia, utilizaram a escala visual analógica para avaliar o nível de dor, além do questionário sobre o Impacto da Fibromialgia, para avaliar a qualidade de vida dos fibromiálgicos 8,9.
Esses estudos verificaram que o protocolo de treinamento utilizando o método Pilates, diminuiu o impacto da fibromialgia, reduziu a dor e melhorou a qualidade do sono, amplamente afetada nesses pacientes. Além de ter melhorado a capacidade funcional, fundamental para que os indivíduos possam ter autonomia para realizar atividades do cotidiano.

A prática do Pilates com uma frequência semanal de 2 a 3 vezes por semana, durante 60 minutos, já pode trazer resultados benéficos significativos. Deve-se valorizar todos os princípios do método e a escolha dos exercícios deve levar em consideração o nível de dor do paciente. É importante conter exercícios de força, alongamento e mobilidade articular. A evolução do treinamento deve ser gradual. É importante que o professor inicie com séries mais curtas, utilizando exercícios de fácil execução, além de trabalhar o corpo inteiro em cada aula, para evitar sobrecarga a um grupo muscular específico. Precisamos garantir a adesão do aluno a prática de exercícios físicos.

Para avaliar a evolução do tratamento, sugere-se além de exames físicos, a utilização da escala visual analógica, e o questionário sobre impacto da fibromialgia, um questionário validado e específico para avaliar a qualidade de vida de pacientes fibromiálgicos, composto por questões relacionadas à capacidade funcional, situação profissional, distúrbios psicológicos e sintomas físicos 10. Mas por que avaliar? Pois a avaliação é fundamental para identificar as necessidades do aluno e dimensionar a efetividade da sua intervenção.

Muitos pacientes que possuem fibromialgia procuram o Pilates como tratamento. Dessa forma, é essencial que o profissional esteja devidamente preparado para traçar um plano terapêutico adequado a sua necessidade.

1. GONZALEZ, et al.. Symptomatic pain and fibromyalgia treatment through multidisciplinary approach for primary care. Reumatol Clin. 11(1). 2015.

2. LORENA, S. B. et al. Evaluation of pain and quality of life of fibromyalgia patients. Rev Dor. 17(1). São Paulo. 2016.

3. PILLEMER, S.R. et al. The neuroscience and endocrinology of fibromyalgia. Arthritis Rheum. 40(11): 1997.

4. BRAZ, A. S. et al. Uso da terapia não farmacológica, medicina alternativa e complementar na fibromialgia. Rev. Bras. Reumatol. 51(3). São Paulo. 2011.

5. OLIVEIRA, M. A. S; FERNANDES, R. S. C. ; DAHE, S. S. Impacto do exercício na dor crônica. Rev Bras Med Esporte. 20(3) São Paulo. 2014

6. BIDONDE, J. et al.. Aerobic exercise training for adults with fibromyalgia. Cochrane Database Syst Rev. 21(6) 2017

7. Heymann, Roberto Ezequiel et al. Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia. Rev. Bras. Reumatol. 2010.

8. ALTAN, L. Effect of Pilates Training on People With Fibromyalgia Syndrome: A Pilot Study. Arch Phys Med Rehabil. 2009.

9. KOMATSU, et. al. O treinamento de Pilates melhora a dor e a qualidade de vida das mulheres com síndrome da fibromialgia. Rev. Dor. 17(4) São Paulo. 2016.

10. MARQUES, A. P. et al. Validação da versão brasileira do Fibromyalgia Impact Questionnaire (FIQ). Rev. Bras. Reumatol. 46(1). São Paulo. 2006.

By |2019-10-14T08:48:37-03:00setembro 6th, 2019|Pilates|0 Comments

Leave A Comment

Whatsapp Pilates Institute Internacional
Enviar por WhatsApp